Iphany

Geo

– Conheces algum afluente do Rio Sado?
– Sim, o Maso.

Advertisements
Standard
Altime

Paradox

Sentadas, desalinhadas, desorganizadas, orientadas. Sussurram uma com a outra, com alguém no meio.
Alguém que é. Aguardam algo que ninguém quer.
Unidas fora do sangue. Úteros-mãe diferentes.
Definem estratégias para uma guerra que não vai existir porque já foi travada. Desgastadas e derrotadas, sem soluções.
Aguardam o que vai acontecer. Amanhã, hoje.
Delicado e lento toque que amortece. Delocutivo constante.
Embora nem sempre seja falado. Esbate-se conforme o tempo passa.
Sabe-se o que vai acontecer. Sabe-se que ninguém adivinha o futuro.

Beleza ou brutalidade.
Endereçada, de forma errada.
Ao destinatário que não merecia.

Standard
Altime, Etry

Life goes off

Abrir os olhos e acordar.
Sair do invólucro que suspende o dia e começar um novo.
Evidenciar que tudo continua na mesma.
Os seres movimentam-se, os objectivos surgem, as luzes apagam-se.
Olhares quotidianos, cumprir a banalidade do objectivo.
Questionar, mesmo quando não temos vontade.
Aplicar uma finta de corpo e fazer o cérebro pensar quando está preguiçoso.
Movimentar na direcção do nosso nariz, mesmo que não se veja.
Tudo.
Cumprir o verso, tem que ser.
E o inverso?

Standard
Pinion

Think positive

Contar histórias, recontar histórias.
E ouvir histórias.
É um dos pilares da nossa existência e não o valorizamos muito. Valorizamos muito mais a fantasia criada por objectos que habitam nas nossas casas e bolsos, que encapsulam a realidade e melhoram a ficção. Uma espécie de “reality-on-steroids-everywhere”.
Como se não bastasse, essa realidade está a ser melhorada, incrementada, acelerada e exponencialmente controlada ou censurada.
Dou por mim, num local onde nunca tive grande interesse em ir, mas que se revelou revelador.
Primeira revelação consumada: Estou conscientemente mais velho.
Todos dizemos que sabemos que estamos a ficar velhos mas só sabemos mesmo isso quando a conversa nos leva a nostalgias não muito longínquas e quando alguém toca num ponto “fraco”, a electricidade sobe pela medula fazendo o pêlo do pescoço ficar eriçado.
Segunda revelação consumada: O calor humano da conversa é tão boa terapia como sal, iodo e sol (Tudo junto, claro).
Terceira revelação consumada: Os outros ouvem-nos. Não é só quando dizemos barbaridades, para posteriormente nos lembrar das palavras infelizes que emitimos de forma consciente.
Quarta revelação consumada: Ainda há pessoas humanas.
E vão haver sempre. Só temos que pensar positivo.
A vida vai acontecendo.

Standard
Altime, Iphany

Nhoto

Dó.
Azoto.
Não.
Mas é gás.
Quanto me solto e sei que alguém está a ouvir, costumo dizer “Toma!” numa espécie de assunção para desculpabilizar o deslize.
Pah, nada a fazer. Eles quando querem fazer barulho à ré, vale tudo e no fundo não valem nada porque costumam ser dados e não vendidos.
Nunca pensei fazer o que estou a fazer hoje, para além de estar a escrever sentado no sítio do costume, que já não é novidade nenhuma. Não. Não vou contar. Não faltava agora começar aqui a enumerar números cardinais em sequencial. Outro dia. Ou outra noite. Outra vontade. Outra disposição. Outra certeza. Outra forma de estar.
Outra vez.
Mi.

Standard